HISTÓRIA CRIADA HOJE N ÃO EXISTE MACHO SEM CHANCES CARA DE PAU TOLAS ACREDITAREI NUNCA PAGA VELHO PAPO ESTRANHO DESIGUALDANTE BBVÉIO DST RETURN IMPREVIDÊNCIA GENÉRICOS CARNE PODRE CARNE FRAQUÍSSIMA CARNE FRACA 1 CARNE FRACA A MÃO DE DEUS BRT DAS ARÁBIAS 9 MILHÕES PARA CRIMINOSOS A NOVA RELIGIÃO, O “CIENTISMO” A TRÍADE MALDITA O CAPETÃO VOLTOU, O CAPETÃO VOLTOU… AS VÍTIMAS NÃO CONTAM É A FÍSICA, IDIOTA! POBRE MARACANÃ! ASSALTOS VERGONHA E AÍ, MULHERES? VÃO CONTINUAR DEIXANDO? TUDO É DADO ACIDENTE? ASSASSINATOS TÍTULOS SEM VALOR MASTURBAÇÃO GOVERNAMENTAL COBRANÇA INDEVIDA A PREFEITURA NÃO TEM DONO IMPOSTO É PAGAMENTO POR PRESTAÇÃO DE SERVIÇO E NÃO OBRIGAÇÃO SÃO NOSSOS SERVIÇAIS E NÃO O CONTRÁRIO NÃO EXISTE “CALAMIDADE FINANCEIRA” A ESUQUERDA NA NUVEM DEMOCRACIA NO ORIENTE E CONTO DE FADA DA KÉFERA TALVEZ SEJA ÚTIL IDOSO É SUA MÃE É BOM PRÁ QUEM TÁ DE FOLGA… PRESOS NAS CELAS DOMINAÇÃO ÓI NÓÍS AKI TRAVÊIS! A VOLTA HERÓIS ASSASSINOS POUCOS ARTISTAS PAI GORDINHO PREMONIÇÃO TEM UM EMPREGO? CARAS DE PAU – MESMO! QUEREM MATAR VOCÊ! CÂNCER PARA TODOS LOUCOS? DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS CUIDADO HAPPY FUGA DO INFERNO O INFERNO NA PRAIA PONTE PARA O NADA BURRICE FARCS AINDA VOTAM? BOBAGEM NÃO SEJA GENTIO PALHAÇADA FIM DE SEMANA MORTAL MACAQUICES SADOMASOQUISMO HAPINESS MALUQUICES DE FIM DA ANO NOVO SISTEMA DE CASTAS SOMOS TODOS COMUNISTAS DISFARÇADOS COMANDAR A VIDA NÃO SE MORRE MAIS! O MUNDO MUDOU! NÃO PRECISA MAIS MORRER! O MUNDO MUDOU! O mundo mudou. É preciso não morrer mais. Alguns seres imortais Fizeram de você um animal. HAITI, OBRA COMUNISTA A MORTE NÃO É A ORDEM NATURAL DAS COISAS O CONTROLE DA VIDA TÃO DE OLHO NA GENTE ESQUERDISTAS SÃO LOUCOS DE PEDRA SÃO AS EMPRESAS QUE FAZEM A RIQUEZA, NÃO O ESTADO SUS, UM ABSURDO FINITO VELHO CHOCO MAIS UMA VEZ PO TSE EXTRAPOLA SALÁRIO MÍNIMO, LEIS TRABALHISTAS, DESEMPREGAM 12.O000.000

MICHINSK PROVS – RETURN

About

O Jornal Almar tem como objetivo levar o conhecimento da Realidade (que, por incrível que possa parecer, tanto não pode ser percebido pelos sentidos, quanto é ignorado por todas as instituições humanas) mas de forma leve, agradável, mesmo divertida. Através de textos atuais, personagens fictícios, discussão do que acontece no mundo das pessoas e todas as formas que forem possíveis e necessárias para levar a Realidade aos seres humanos, porque não podem mais continuar ignorantes dela.

Eu vi a tarde cair, escondido no meu canto de parede, esperando as sombras da noite  chegarem

As sombras dominaram  o mundo e os lacaios do presidente começaram  a atirar.

Praticamente toda a população do país tinha se reunido na Praça dos Poderes, em frente ao Palácio. E começavam a  cair como moscas.

Eu não poderia deixar isso acontecer

E Lurdinha começou a agir.

Antes, eu preciso lhe contar o que aconteceu.

Quando os soldados se aproximaram, na rua da armadilha que me montaram,

Lurdinha, como sempre, começou a agir.

Sabe por que?

Porque lurdinha REPROGRAMA!

E, por isso ela pode fazer QUALQUER COISA.

Por isso, quando os militares nos cercaram, Lurdinha  providenciou um domo invisível de proteção e as balas formam absorvidas por ele.

Lurdinha criou um corpo artificial que parecia em tudo um cadáver semelhante ao que eu deveria ser se houvesse sido atingido por todas as balas e o deixou no chão.

E adivinhe quem era a “velhinha’ que pegou o corpo e enterrou no cemitério de Tombstone?

Claro, Lurdinha!

E ficamos quietos por algum tempo, para percebermos o que deveríamos fazer.

O presidente estava sozinho, mas ele era, ainda assim, muito poderoso,

Tanto que se  salvara da explosão que destruira o Palácio.

Ele o reconstruiu rapidamente com seus poderes, vejam como ele ainda é forte. Agora, éramos nós que teríamos de agir.

Lurdinha, então, não fez por menos.

Primeiro, emitiu uma ventania poderosa mas gentil,  que  afastou o povo para longe e emitiu um míssil muito sofisticado,  que fez detonar uma bomba de nêutrons sobre o Palácio do Lagosta. A bomba de nêutrons destrói os ser vivos mas, deixa as construções intactas.

A explosão foi fabulosa.

Por uma questão de segurança, Ludinha mandou um minúsculo drone, do tamanho de uma  mosca pequena, e investigou odo o palácio.

Não sobrevivera ninguém. Havia lagosta assada, isso sim.

O povo, salvo, passado o tempo de irradiação perigosa, tomou conta do palácio.

Homens de bem, novamente, começaram a organizar um governo legítimo e correto.

Eu não tinha mais nada a fazer, ali.

Lurdinha voltou para dentro de meu sobretudo preto, muito bem discretamente escondida e eu fui embora pelas sombras da rua.

Eu sou apenas um bom cidadão que gosta de andar pelas ruas deserta de minha cidade.

Vou descansar um pouco.

 

 




2016 Almar LTDA